Tempestade

"Tudo seria fácil se você entendesse que já é tarde para tentar mudar o que você fez,mas ainda é cedo para pedir desculpas"
Foi a última coisa que ele disse antes de ir embora,me deixando sozinha naquela sala de espera estranha.
Nela haviam um homem lendo jornal,ele tinha um aparelho de audição era como se estivesse em outro lugar,mesmo barulho incessante da chuva não atrapalhava sua leitura.Também havia um linda menina com cachos que caiam sobre seus pequenos ombros,parecia que ela era a única que conseguia ver a suavidade e fragilidade naquela imensa chuva,ela pegou uma boneca que estava numa cadeira ao lado da sua e foi para a janela,acho que ela queria que sua amiga visse aquela chuva,era a maior tempestade que eu já havia visto,mas acho que a menina já estava acostumada.Ela estava na janela ao meu lado,ela fechou seus olhos e apreciou o som a chuva como se fosse a mais bela melodia do mundo.Quando desviei os olhos da pequena menina um relâmpago iluminou o céu,era como um fio de prata numa enorme escuridão.O homem que lia o jornal o guardou e saiu da sala.
A sala tinha paredes acinzentadas,como se estivesse ali a anos,por mais que parecessem não ser frágeis,pela sua largura pareciam não estar acostumadas a tempestades como aquela garotinha.Mas a menina estava tranquila,acho que só eu achava que aquele lugar era estranho e agora começava a ficar perigoso...As cortinas começaram a balançar,e logo após os vidros quebraram,mas a menina não sai a da janela,ela sorria,sorria para a chuva,como quem agradesse um presente.Eu corri até ela e a puxei para perto da porta,se a tempestade não fosse tão intensa eu correria com essa menina no colo.Quando soltei suas mãos,percebi que as minhas (mãos) estavam sujas de sangue,aquela menina tinha ferimentos graves nas mãos.Ser médica nunca foi tão útil,eu queria cuidar daquela menina como se fosse uma filha,queria que ela sorrisse pra mim como sorriu pra chuva .Minha visão ficou embassada de repende,foi estranho,aquela era a hora que mais precisava dela,eu precisava cuidar daquele ferimento.fazer uma sutura,o mais rápido possível.
Minha cabeça doia muito,senti um misto de sentimentos,era uma tempestade dentro de mim,coloquei a mão na cabeça e quando a retirei vi que ela estava coberta de sangue.Nessa hora foi ruim ser médica,eu mesma dei meu veredito,eu morreria aqui,o corte em minha cabeça era profundo,uma hemoragia,uma garota precisando de mim,e eu de mãos atadas,talvez não fosse cedo de mais para pedir desculpas,mas eu entendi que era tarde de mais para fazer algo.

Rcebi um selo do blog Garota Altruista

Achei mega lindo,eu indico para minhas parcerias pois tenho muito apreço por elas e indico para o blog Caixinha de Tudo (que foi um tesouro que achei na internet!)





5 comentário:

- Emily disse...

que lindo *-*
a mulher morreu? e a menina? :'O
CONTEEE

Ana Paula disse...

Arebaba! >_>

menina, isso foi intenso! <_<

Não entendi muito bem o que se passava... Quem era ele? De onde tirou a idéia pra criar o texto? Ficou confusamente perfeito! :]

OBS: Owwwnt, obrigada pelo selinho! *-*
Nunca postei nenhum selinho no meu blog, mas como foi indicação sua diretamente pra mim eu vou por! *----*


;*

Larissa Mattos disse...

Que isso amr (: Seu blog merece :D
que texto lindo, estou chocada :O
http://girlaltruista.blogspot.com/
;*

A Menina que amava livros disse...

Muito bom - e misterioso!
Eu amei.
Parabens, onee-chan <3

Ana Paula disse...

Que criatividade! XD

Postar um comentário

Comentando você estara fazendo uma blogueira feliz ;)Comente sempre que quizer
Não escreva palavrões
Volte sempre!

Related Posts with Thumbnails